Notícias

A Residência Cisterciense proposta para o mosteiro de S. Bento de Cástris tem como objectivo primacial reinventar na contemporaneidade a densidade histórica do discurso cisterciense, integrando a geografia do mosteiro eborense numa mais ampla geografia da Ordem de Cister. Inspirada nas questões da História, da Arte, do Património e da Paisagem cistercienses, a Residência, regida pelo ritmo do quotidiano da Regra beneditina, apostará na vivência dos espaços do mosteiro e no debate de questões actuais ligadas aos espaços monásticos e ao seu futuro, apostando-se no carácter original da iniciativa.

De 21.09.2018 a 22.09.2018
Mosteiro de S. Bento de Cástris | Évora

No âmbito da publicação dos novos títulos da Coleção Estudos de Museus e depois do lançamento do décimo primeiro volume no Museu Nacional de Arqueologia, o livro da autoria de Elisabete J. dos Santos Pereira: Colecionismo Arqueológico e Redes de Conhecimento. Atores, Coleções, Objetos (1850-1930), temos o gosto de apresentar esta obra em Évora, em colaboração com a Direção Regional de Cultura do Alentejo. Tendo em conta que esta publicação resulta de uma tese de doutoramento defendida na Universidade de Évora e que o livro valoriza um conjunto de personalidades escassamente tratadas pela historiografia dominante e em parte associadas ao Alentejo, é com especial prazer que se divulga esta apresentação, no próximo dia 18 /07, pelas 17:30, na Galeria da Casa de Burgos, em Évora. O livro será apresentado por Marta Lourenço, investigadora do Museu Nacional de História Natural e da Ciência, Presidente do Comité Internacional de Museus Universitários do ICOM e autora de bibliografia referencial no campo da Museologia.

 

Em 18.07.2018
17:30 | DRCA Direção Regional de Cultura do Alentejo | Casa de Burgos (Évora)

 

Jorge Oliveira é professor no Departamento de História e diretor do Laboratório Pinho Monteiro da UÉ. Responsável pela transição da “arqueologia amadora” para uma “arqueologia profissional” na Universidade de Évora, participou e liderou inúmeras escavações arqueológicas no território alentejano. Através de uma pequena porção de matéria orgânica encontrada pelo arqueólogo na base do Menir da Meada (o mais impressionante monumento megalítico da região de Castelo de Vide, e o maior menir totalmente talhado pelo homem em toda a Península Ibérica), foi possível obter uma datação mais antiga do que era espectável. A comunidade de arqueológos ligados ao neolítico sempre acreditou que o megalitismo funerário (dolmen) era contemporâneo dos menires, porém esta datação, veio revelar que estes eram cerca de dois mil anos mais antigos. Era necessário confirmar esse resultado. Seria apenas um acaso? Jorge Oliveira não hesitou e continuou, como sempre, a dedicar-se à investigação e uma nova escavação efetuada agora ao Menir do Patalou, situado junto a uma estrada que liga Nisa à albufeira de Póvoa e Meadas, no concelho de Castelo de Vide, revelou essa evidência. Após submeter a matéria orgânica encontrada neste menir por radiocarbono, confirmou-se a evidência: os menires são substancialmente mais antigos do que os dólmenes, revelando-se uma descoberta de interesse internacional. Disponível em: www.ueline.uevora.pt/  
De 28.06.2018 a 31.08.2018

 

Uma das efemérides que assinalamos politicamente como umas das mais importantes de 2018 serão os 50 anos do Maio de 68. São inúmeras as atividades por esse mundo fora que visam assinalar a data. A Universidade de Évora não é excepção e apresenta propostas a que não ficámos indiferentes. No jornal Tribuna Alentejo - online, de 14/05/2018: www.tribunaalentejo.pt/.
De 14.05.2018 a 31.07.2018

Leonor Rocha, professora e investigadora na área da Arqueologia e subdiretora da Escola de Ciências Sociais da Universidade de Évora, foi a convidada do programa Falando Com, no dia 13 Junho 2018. A ouvir na seguinte ligação: http://www.dianafm.com/event/falando-com-leonor-rocha/.

De 13.06.2018 a 31.07.2018
De 05.07.2018 a 06.07.2018
09:30 | Centro de Reuniões da Fundação Eugénio de Almeida | Évora

Conferência: "A Igreja da Misericórdia, uma jóia do Barroco em Évora", por José Alberto Machado (Universidade de Évora). Moderação: Manuel Lemos (União das Misericórdias Portuguesas)

 

Em 05.07.2018
18:00 | Igreja da Misericórdia (Évora)

EXPOSIÇÃO DOS ALUNOS FINALISTAS DO DAVD/EA/UÉ

 

De 22.06.2018 a 01.07.2018
18:00 | MONTE ALENTEJANO - Feira de S. João

A Exposição “Évora Wanderlust: instantes gráficos e geométricos da cidade” contempla vários desenhos e maquetas geométricas produzidos pelos alunos do 1.º ano do Mestrado integrado de Arquitetura da Escola das Artes da Universidade de Évora foi inaugurada ontem, dia 14 de junho, no átrio dos Paços do Concelho da cidade de Évora.

Publicado em 15.06.2018